Category

Artigo Diagma

AUTOMAÇÃO DO HUB LOGÍSTICO CLARINS PELA DIAGMA E SCALLOG

CLARINS é líder em cuidados de beleza “high-end” na Europa e um ator global no setor da beleza. Seu hub logístico em Glisy é a ponta de lança de sua estratégia de e-commerce e omnicanal. Com uma área de 27.000 m² em dois níveis e uma equipe de 120 colaboradores, ele gerencia o reabastecimento de armazéns intermediários pelo mundo, bem como a preparação de pedidos para a maioria dos clientes europeus, incluindo compradores online. Para absorver seus picos de atividade sazonais, desde as festas de fim de ano até o lançamento de novos produtos, em todos os canais de distribuição, o hub logístico da CLARINS conta com a expertise e a experiência do projeto da consultoria DIAGMA para automatizar suas preparações de pedidos de varejo com a solução Goods To Man SCALLOG. . Esse estoque automatizado de 4.300 m², instalado em mezanino no primeiro andar, inclui 750 prateleiras transportadas por 71 robôs para 12 estações de picking. Ele acomoda todas as referências da CLARINS e está operacional desde junho de 2023.

Um projeto de automação conjunto: Clarins, Diagma e Scallog

Selecionada no outono de 2021, a consultoria DIAGMA, reconhecida por sua expertise na otimização de fluxos logísticos complexos, acompanhou o hub logístico da CLARINS. Após um estudo aprofundado dos processos, volumes e restrições espaciais do armazém, a DIAGMA elaborou o caderno de encargos e analisou funcionalmente as possíveis soluções tecnológicas. O objetivo era permitir que o hub logístico escolhesse de maneira racional e informada uma solução de automação para suas preparações de pedidos de varejo que atendesse a suas restrições. Essa solução deveria integrar a infraestrutura existente – um armazém de dois andares com mecanização e restrições de espaço, ser capaz de atingir os objetivos desejados e garantir a continuidade do serviço durante sua implementação. Cécile Mansuy, Diretora de Operações na Clarins, nos disse: “Em um contexto de forte transformação do nosso ambiente, tínhamos que transformar nosso modo de preparação do Varejo em 18 meses. A DIAGMA demonstrou imediatamente um profundo conhecimento do mercado e de suas melhores práticas, bem como uma abordagem concreta e prática. Seu acompanhamento nos permitiu ir direto ao ponto em cada uma das etapas-chave do pré-projeto, até a seleção do fornecedor de equipamentos.”

Em junho de 2022, a solução “Goods to Man” da SCALLOG se destacou aos olhos da CLARINS para acelerar o ritmo de suas preparações de pedidos, de maneira eficaz e ágil, ao mesmo tempo que melhorava as condições de trabalho de seus operadores.

A DIAGMA assistiu o hub logístico da CLARINS desde a concepção do armazém automatizado até a implementação da solução, passando pela sua validação e treinamento dos operadores. O projeto se desenvolveu em várias etapas importantes: concepção em outubro de 2022, implementação em dezembro de 2022, duas fases de testes em fevereiro e abril de 2023, sem impactar a atividade logística em andamento. Para melhor acompanhar os colaboradores na mudança, ou na (r)evolução que representa a robotização, DIAGMA e SCALLOG, em estreita colaboração com a CLARINS, estão atualmente treinando três equipes de 14 operadores, para que eles ganhem competências e autonomia. Cécile Mansuy acrescenta: “A SCALLOG rapidamente se posicionou como parceira da CLARINS. Definimos os processos de negócios em colaboração com sua equipe de pré-venda e sua resposta rápida às nossas demandas se estendeu por todo o projeto. Assim, a SCALLOG propôs um plano de instalação em duas fases, garantindo a continuidade de nossa atividade durante os trabalhos e a futura evolução da solução”.

Muitos benefícios, da agilidade à qualidade de vida no trabalho

Cécile Mansuy, Diretora de Operações da Clarins, detalha os primeiros benefícios da robotização: “A instalação da solução SCALLOG nos permite adaptar a área de Varejo do site à evolução do seu portfólio de atividades: aumentar a capacidade horária para absorver o crescimento dos nossos mercados, dobrar nossa cobertura de estoque diretamente disponível em varejo, bem como controlar e reduzir os tempos de processamento de nossos pedidos de e-commerce.” Ela acrescenta: “Além disso, a Clarins estabeleceu uma forte prioridade na qualidade de vida no trabalho. A interface homem-máquina intuitiva, que guia nossos preparadores a cada etapa, oferece a eles maior autonomia, garantindo ao mesmo tempo uma melhor qualidade na preparação. O feedback do campo também mostra uma melhoria ergonômica considerável pela redução do ruído ambiente, do número de passos percorridos e também da amplitude dos movimentos articulares.”

Bruno Hérard, Diretor da DIAGMA, nos diz: “Este novo projeto com a CLARINS ilustra uma tendência forte na logística: a transformação de armazéns existentes para absorver novos fluxos, sob o efeito do desenvolvimento do e-commerce e da escassez de terrenos. A configuração dos armazéns está mudando, impulsionada pelo e-commerce, combinando vários níveis e uma multiplicação de postos ergonômicos de preparação de pedidos de varejo. Uma solução Goods to Man, como a SCALLOG, que propõe uma robotização decididamente ágil e flexível, se integra muito bem para atender às exigências de aceleração das preparações de pedidos e aumento da produtividade.”

Ludovic Mailly, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da SCALLOG, conclui: “Além de se integrar ao armazém, sem transformação e interrupção das operações, nossa solução Goods to Man demonstra, dentro do hub logístico da CLARINS, nossa capacidade de gerenciar importantes fluxos de preparações de pedidos de detalhes BtoB e BtoC, todas as tipologias e classes de produtos, com total agilidade e eficiência.”

Sobre a Scallog

Fundada em 2013, a empresa francesa SCALLOG desenvolve, fabrica e comercializa soluções robóticas dedicadas à logística com o objetivo de aumentar a agilidade e a produtividade dos armazéns dos atores do 3PL, e-commerce, distribuição e indústria. Diante da evolução das exigências dos consumidores BtoC e BtoB, especialmente na disponibilidade dos produtos e na entrega, a solução SCALLOG garante acelerar suas preparações de pedidos e absorver picos de atividade, ao mesmo tempo reduzindo a penibilidade e suavizando os investimentos. Sua gama ‘Goods to Man’, incluindo o melhor do software de decisão e execução ‘inteligente’ e da robótica móvel, atende às necessidades dos logísticos de ir além na flexibilidade das preparações de pedidos e integrar mais amplamente a automação em seus armazéns. Com mais de sessenta referências em seu ativo, a SCALLOG, vanguarda da robótica logística evolutiva e flexível, ambiciona hoje acelerar seu desenvolvimento na Europa e internacionalmente.

https://www.scallog.com/

Sobre a Diagma

DIAGMA é uma consultoria estratégica, tática e operacional especializada em Gestão da Cadeia de Suprimentos (Supply Chain Management). Fundada por Jean-Patrice Netter em 1973, seu Presidente, caracteriza-se pela sua independência, uma expertise muito forte em Supply Chain Management e sócios altamente envolvidos nas missões de consultoria ao lado de seus consultores, visando satisfazer da melhor forma as necessidades de seus clientes em termos de desempenho sustentável e transformação. Trabalhando para múltiplos setores e empresas de todos os tamanhos da indústria, distribuição e serviços, está presente em Paris, bem como no Brasil, Marrocos e nos Estados Unidos. A DIAGMA também é citada entre as melhores consultorias, na categoria Compras & Supply Chain pela CAPITAL, após uma pesquisa realizada pelo Instituto STATISTA com 1.500 consultores experientes e executivos seniores.

https://www.diagma.com/

TRANSPORTADORES, REDUZAM A SUA EMISSÃO DE CARBONO!

Reduzir a sua emissão de carbono é um dos maiores desafios que o setor do transporte enfrenta. Esta é a quinta e última publicação das nossas recomendações aos transportadores acerca de como manter o desempenho das suas operações de transporte num ambiente turbulento recheado de desafios… e que está na hora enfrentá-los!

PARTE 5. TRANSPORTADORES, REDUZAM A SUA EMISSÃO DE CARBONO!

 

Finalizaremos esta rápida panorâmica sobre os desafios que o setor de transporte enfrenta, com seguinte problemática: como manter o desempenho desse setor e ao mesmo tempo reduzir as emissões de gases do efeito estufa. Os caminhos são muitos e variados: alguns difíceis de implementar, outros mais imediatos.

 

FORMAR E SENSIBILIZAR OS CONDUTORES À ECOCONDUÇÃO

Rápida de colocar em prática, a formação e sensibilização dos condutores à ecocondução implica num consumo em média 10% menor. Além disso, uma condução mais equilibrada é também mais virtuosa em termos de segurança, o que é sempre importante.

REDUZA A VELOCIDADE DOS VEÍCULOS

Do mesmo modo, a simples redução da velocidade máxima de 90 para 80 km/h permite poupar 5% de combustível num veículo rodoviário. No setor marítimo, estão sendo desenvolvidos softwares que permitem aos barcos aproveitarem as correntes marítimas favoráveis e reduzir assim o seu consumo de combustível, sem esquecer o « slow steaming », um movimento para reduzir a velocidade dos navios. Um estudo publicado na revista científica Frontiers in Marine Science confirma que « uma redução de 10% na velocidade da frota mundial reduziria as emissões de gases do efeito estufa em 13% ».

ESCOLHA FONTES DE ENERGIA MENOS POLUENTES

Já estão disponíveis opções energéticas menos poluentes para todos os tipos de veículos. O setor marítimo iniciou a sua transição com a utilização de navios porta contêineres alimentados a metanol (a Maersk encomendou 19, reduzindo as emissões anuais de CO2 da frota em cerca de 2,3 Mt por ano) ou propulsão a gasóleo. O setor aéreo, por sua vez, começou a testar voos com óleo alimentar usado (março de 2022), enquanto aguarda os futuros aviões movidos a hidrogênio. Na rodovia, soluções como o biogás para as longas distâncias e os veículos elétricos para as entregas urbanas são já bem conhecidas e estão disponíveis enquanto se espera pelo hidrogénio.

OPTE PELA MUDANÇA DE MODALIDADE NO RIO…

Por último, a mudança de modal é um tema da atualidade nestes tempos de tensão energética. Na Europa, a utilização da navegação fluvial em certos itinerários, como o Sena ou o Ródano, pode revelar-se um meio de transporte eficaz, não sujeito a condições de tráfego, com prazos de entrega confiáveis e capaz de transportar grandes volumes. Em Marselha-Fos, a navegação fluvial aumentou a sua participação no tráfego de contentores em 14%, atingindo 75.000 TEU em 2021. Do mesmo modo, o projeto Limay 2026 da Ikea, destinado a fazer entregas a clientes nas regiões da Ile-de-France, Normandia e Bretanha, é um exemplo significativo do futuro deste modal, especialmente se for combinado com veículos elétricos para entregas urbanas.

… E DO LADO FERROVIÁRIO

Do lado ferroviário, na Europa, existem soluções para a gestão de vagões individuais, especialmente na rota Norte de França – Ródano-Alpes – Itália / Espanha. Além disso, a introdução da primeira linha ferroviária, em setembro de 2022, para o transporte ferroviário de semi-reboques não acompanhados, de Marselha Fos a Calais, é uma boa notícia.

O que está em jogo é muito importante e não há tempo a perder. Não adiem!

 

TRANSPORTADORES APROXIMEM-SE DO CONSUMIDOR!

O setor de transportes enfrenta desafios múltiplos. Está na hora de atualizar e adaptar a organização desse setor. Nossa 4ª recomendação aos transportadores: optem por uma organização baseada em armazéns locais para reduzir os quilômetros percorridos.

PARTE 4. TRANSPORTADORES, APROXIMEM-SE DO CONSUMIDOR!

 

Outra forma de reduzir os custos com transporte é aproximar-se do consumidor e consequentemente reduzir os quilómetros percorridos pelo transportador. Muitas vezes, a organização logística apoia-se num armazém central para fazer entregas num determinado território, o que implica algumas vezes, percorrer distâncias consideráveis. A ideia é rever esta organização, privilegiando armazéns regionais mais próximos das zonas de maior consumo. Isto também facilitaria a utilização de veículos elétricos que possuem uma menor autonomia.

 

Vários fatores para os armazéns locais

Esta regionalização está também em sintonia com a vontade dos consumidores de optarem por cadeias de distribuição curtas, a responsabilidade social das empresas, o aumento dos custos energéticos, o desenvolvimento do e-commerce… As razões para a criação de armazéns regionais ou locais são múltiplas. Reduzir a distância entre o armazém e o cliente final é um desafio estratégico, pois é necessário acelerar a entrega mantendo os custos sob controlo. Este objetivo é ainda mais crucial, dado o aumento da frequência das compras e a diminuição do carrinho de compras médio e, portanto, do peso médio transportado. A gestão da rede de armazenamento deve, por conseguinte, ser revista em função dos custos, dos prazos de entrega e das emissões de CO2.

“Ship from store”

No setor do comércio, a utilização do « Ship from store » pode ser uma alternativa, desde que a loja esteja equipada com uma ferramenta informática capaz de gerir as expedições e as etiquetas e que o pessoal receba formação sobre o manuseamento necessário para expedir os produtos. Desta forma, a loja torna-se um armazém local, sem muito investimento adicional e o comerciante passa a cobrir as entregas de uma malha importante do território.

EMBARCADORES, OTIMIZEM SEUS CARREGAMENTOS!

O transporte de mercadorias enfrenta diversos desafios e precisa evoluir para gerenciá-las da melhor forma possível. Esta é a terceira parte das nossas reflexões sobre os desafios do transporte: otimizar o carregamento dos veículos.

OTIMIZE O CARREGAMENTO DOS VEICULOS

A otimização do acondicionamento e do carregamento de veículos contribui para reduzir o número de veículos na estrada e, portanto, traz economias diretas.  Carregar menos camiões otimiza os recursos humanos e materiais desde o armazém até à expedição, mas também reduz o número de viagens e, portanto, o número de motoristas envolvidos. Isto é muito significativo, tendo em vista a escassez de motoristas.

Para otimizar os seus carregamentos e aumentar a taxa de ocupação dos seus veículos, várias medidas devem ser progressivamente implementadas:

A primeira resume-se no acondicionamento correto do produto. A embalagem deve ser suficientemente forte para proteger o conteúdo e suficientemente apertada para evitar o vácuo no interior da embalagem.  Quem é que nunca recebeu uma embalagem mal preenchida, ou até mesmo um pouco esmagada?

A segunda diz respeito à boa disposição das encomendas no suporte, de acordo com a sua dimensão e peso, a fim de maximizar a altura do suporte e limitar o risco de danos. Isto pode parecer óbvio: as encomendas mais pesadas devem ser colocadas no fundo do suporte e não empilhadas em cima de encomendas de menor densidade. No entanto, esta regra de senso comum não é rigorosamente respeitada. Algumas vezes, os pallets podem ser organizados à medida que as encomendas são recebidas.

A terceira é a capacidade de empilhamento apropriada das paletes, seja num caminhão ou num contêiner. Da mesma forma que as encomendas, os pallets mais pesados devem ser posicionados na parte inferior. Mas, para isso, os profissionais responsáveis devem conhecer o conteúdo e o peso do palete, bem como a sua capacidade de empilhamento. Uma quarta opção consiste em otimizar o posicionamento do palete no camião em função do seu peso, a fim de respeitar as restrições de carga máxima por eixo.

Por fim, a otimização também pode ser alcançada através da utilização de reboques equipados com vigas que criam um segundo nível e maximizam a utilização do volume disponível.

A tendência é de escassez de recursos e aumento de preços. Há uma escassez aproximada de 400.000 motoristas de veículos pesados na Europa, com uma tendência de agravamento, sendo a faixa dos 50 aos 57 anos a maior na pirâmide etária da profissão. Ainda que soluções estejam sendo implantadas para tentar melhorar esta situação – como a feminização da profissão, o aproveitamento de imigrantes qualificados, a melhoria das condições de trabalho, o aumento dos salários, entre outros – a longo prazo, o problema permanece estrutural. Além disso, para garantir as suas capacidades de transporte e entrega, os embarcadores terão que:

SOFTWARES PARA FACILITAR A OTIMIZAÇÃO DO CARREGAMENTO DOS VEÍCULOS

Atualmente, estas ferramentas são mais fáceis de implementar, uma vez que existem no mercado vários tipos de softwares simples para otimizar o carregamento. Assim, o veículo ainda nem se deslocou e já se tornou mais produtivo!

CARREGAMENTO A GRANEL OU UTILIZAÇÃO DE CAMINHÕES DE DOIS ANDARES?

Alguns comerciantes chegam ao ponto de carregar a granel para maximizar o enchimento, como tem sido historicamente praticado nos EUA, onde as distâncias de transporte são mais longas. Alguns setores utilizam também veículos de dois andares. Estes oferecem uma área útil 60% superior à de um veículo convencional. No entanto, são mais caros e requerem instalações especiais de carga/descarga.

 

PARTE 1 – EMBARCADORES, DIGITALIZEM SEUS TRANSPORTES!

PARTE 2 – EMBARCADORES, PROTEJAM SUAS CAPACIDADES DE TRANSPORTE!

 

EMBARCADORES, PROTEJAM SUAS CAPACIDADES DE TRANSPORTE!

Escassez global de motoristas, explosão de custos de energia, redução de emissões de CO2: o transporte enfrenta múltiplos desafios. Além disso, os últimos choques sofridos apontam para os limites dos processos de transporte em vigor e para a necessidade de aprimorá-los.

 

Esta é a 2ª parte de nossas reflexões sobre os desafios do transporte: garantir suas capacidades de entrega.

 

GARANTINDO SUAS CAPACIDADES DE TRANSPORTE

 

A tendência é de escassez de recursos e aumento de preços. Há uma escassez aproximada de 400.000 motoristas de veículos pesados na Europa, com uma tendência de agravamento, sendo a faixa dos 50 aos 57 anos a maior na pirâmide etária da profissão. Ainda que soluções estejam sendo implantadas para tentar melhorar esta situação – como a feminização da profissão, o aproveitamento de imigrantes qualificados, a melhoria das condições de trabalho, o aumento dos salários, entre outros – a longo prazo, o problema permanece estrutural. Além disso, para garantir as suas capacidades de transporte e entrega, os embarcadores terão que:

 

Distribuir o risco de não cumprimento

Ao transmitir a ordem de transporte, será necessário poder atribuir um fluxo a um transportador referenciado e, em caso de rejeição, repassar automaticamente este fluxo para outros prestadores de serviço referenciados até a sua aceitação.

 

Antecipar necessidades de transporte através de uma melhor conexão entre erp/wms e tms

O objetivo é integrar o portfólio de pedidos a ser entregue o mais rápido possível. Essa integração permite planejar as capacidades de transporte com mais antecedência e, portanto, garantir o carregamento efetivo de produtos no Dia D.

 

Desenvolver relações de parceria de longo prazo com as transportadoras e limitar a política de renegociação permanente.

Nada é mais frustrante para um operador do que perder uma linha após o anúncio de uma licitação por uma pequena diferença de preço. A questão econômica é obviamente importante, mas também o respeito ao serviço ao longo do tempo. Um prestador de serviços que tem visibilidade sobre sua futura atividade com o embarcador será ainda mais capaz de responder a ela se puder antecipar uma futura evolução de seu cliente.

 

Estas são três iniciativas simples para colocar em prática, e com grande potencial de melhorias de nível de serviço e redução de custos nas operações.

 

 

PARTE 1 – EMBARCADORES, DIGITALIZEM SEUS TRANSPORTES!

 

ENTREVISTA JEAN-PATRICE NETTER

 

Ao longo dos últimos 50 anos, o supply chain modificou-se e modernizou-se demandando de seus players inovação e uma visão cada vez mais global das operações. Estar à frente de uma das consultorias mais sólidas, com atuação em todo o mercado europeu e latino-americano, traz um background que poucos executivos possuem. Nesta entrevista, Jean Patrice Netter, presidente e fundador da DIAGMA | smarter and more sustainable Supply Chain designers, aborda os maiores desafios do supply chain na atualidade que envolve tecnologia e sustentabilidade.

 

  1. Como foi a concepção e o processo de implantação de uma consultoria especializada em Supply Chain e Logística?

JPN: No início dos anos 70, ainda não falávamos sobre Cadeia de Suprimentos. Mas os problemas de otimização dos fluxos de produção e distribuição já existiam. Começamos a trabalhar para clientes como os correios franceses redesenhando sua rede de distribuição e com cervejarias (como Kronembourg e Heineken), no planejamento de produção e presença industrial. O objetivo ao criar a consultoria DIAGMA, em 1973, foi colocar nossa rigorosa abordagem matemática a serviço da otimização dos fluxos produtivos e logísticos. Queríamos ajudar as empresas a melhorar seu desempenho realizando estudos quantitativos, que permitissem tomar as melhores decisões organizacionais com base em nossos cenários de modelagem de negócios.

 

  1. Atualmente, a Diagma atende a diversos projetos, de diferentes portes, setores e regiões – cada um com suas especificidades. Como conciliar uma atuação tão ampla? Existem características comuns nos projetos?

JPN: Os projetos de consultoria que realizamos são, de fato, muito variados em termos de temas, setor de atividade ou região geográfica. Mas a nossa missão continua sendo ajudar as empresas a desenhar, montar e operar uma Cadeia de Suprimentos que tenha inteligência para se adaptar ao seu modelo de negócios, atendendo seus clientes, para criar valor duradouro. Se tivéssemos que encontrar pontos em comum em nossos projetos, em última análise, diria que é sempre uma questão de encontrar o melhor compromisso entre o nível de serviço, os custos e, cada vez mais, o impacto ambiental das decisões tomadas. É por isso que queremos tornar as Cadeias de Suprimentos mais inteligentes e sustentáveis. Procuramos otimizar o consumo de recursos para prestar o melhor serviço possível dentro das possibilidades de cada projeto.

 

  1. Você poderia citar e comentar as principais inovações tecnológicas que serão tendência no setor de logística?

JPN: As inovações tecnológicas são numerosas e aceleradas. Ao nível da Cadeia de Abastecimento, aumentar a automatização – através de sistemas de informação como ERP, APS, WMS, TMS, OMS, via soluções mecanizadas e/ou robóticas de coleta de encomendas em armazéns, entregas, etc. – e aliviar a escassez de recursos humanos é sem dúvida a tendência mais marcante.

Outra tendência marcante é a industrialização do processamento de dados. Trata-se de coletar dados automaticamente no campo (leitura de código de barras, RFID, sensores IOT, etc.), armazenando-os em sistemas de informação interconectados (bancos de dados, data lakes, plataformas de monitoramento E2E, etc.) e analisá-los (Inteligência Artificial, Machine Learning, Deep Learning) em detalhe e globalmente para tomar as melhores decisões, antecipar, planejar, ser alertado para reagir rapidamente.

Dada a complexidade a ser gerenciada na Cadeia de Suprimentos, os tomadores de decisão irão cada vez mais contar com sistemas automatizados que farão recomendações para que sejam mais ágeis e capazes de lidar com a incerteza, mantendo-se eficientes.

 

  1. Como os projetos de Supply Chain podem contribuir para a sustentabilidade ambiental das empresas?

JPN: A Cadeia de Suprimentos integra atividades de fornecimento, fabricação, distribuição e entrega. Assim, consome energia, matérias-primas, componentes e embalagens e emite resíduos, CO2 e gases do efeito de estufa. Para contribuir com a sustentabilidade ambiental das empresas, pode-se investir em projetos de otimização da Cadeia de Suprimentos, com produtos com design ecológico, reparados e reciclados, redes de distribuição encurtadas, caminhões cheios e transporte de baixa emissão, etc. A reengenharia de embalagens tornou-se uma questão importante na redução das emissões de gases do efeito estufa.

EMBARCADORES, DIGITALIZEM SEUS TRANSPORTES!

É um eufemismo dizer que os transportes enfrentam numerosos desafios: escassez de motoristas, explosão dos custos de energia, redução das emissões de CO2 … E os últimos choques experienciados (fechamento de portos, aumento dos preços marítimos, escassez de contêineres …) colocou em destaque as limitações dos processos de transporte em vigor. É daí que surge a necessidade de fazê-los evoluir. 73% das partes interessadas da área de Supply Chain estão convencidas de que é possível melhorar sua organização de transporte (Fonte: Transporeon – 04/2022). E você?

 

Apresentamos aqui em 5 partes os principais problemas enfrentados pelos tomadores de decisão em Supply Chain no assunto de transporte e as alavancas a serem ativadas de modo a respondê-los e, assim, aumentar suas performances.

 

COMPONENTE 1: DIGITALIZANDO SEU TRANSPORTE

Diante das ameaças, um primeiro desafio é manter o controle de seu transporte.  Uma vez que se percebe a situação internacional complexa como um fator de perturbação e, também, de atrasos, os embarcadores devem poder monitorizar os seus fluxos para antecipar possíveis intercorrências. Isso implica digitalizar o Supply Chain, configurando plataformas de visibilidade de ponta a ponta e aplicativos de gerenciamento de transporte ou TMS (Transportation Management Systems).

 

OTIMIZAÇÕES, ALERTAS, AUTOMAÇÕES… E SERENIDADE

Ter visibilidade sobre os seus fluxos cotidianos permite, por exemplo, otimizá-los, em particular através da criação de circuitos de ida e volta que reduzam os quilômetros vazios (estimados em 14% na França para a estrada) e o CO2 emitido, ou para maximizar a sua taxa de carga.

Esta visibilidade também pode alertar as intercorrências na localização dos ativos ou a integridade do conteúdo (sensores para medir a abertura, temperaturas, etc.) comunicando-se através das mais recentes tecnologias IoT), facilitando a rápida implementação de uma solução alternativa.

Da mesma forma, o gerenciamento das ordens de transporte otimiza automaticamente a carga das equipes de transporte que trabalharão nas informações enviadas pelo TMS para a pessoa certa, destacando o mau funcionamento a ser resolvido (seja documental ou físico). Os esforços dos fretadores estão, portanto, concentrados em tarefas de valor agregado.

Finalmente, as ferramentas de gestão permitem passar de um plano de transporte que é fixo, tendo em vista a complicação de realizar manualmente um plano de transporte flexível, porque é gerenciado através de um aplicativo de software adaptado.

 

POUCOS EMBARCADORES SAO EQUIPADOS COM SISTEMAS DE TMS OU PLATAFORMAS DE VISIBILIDADE E2E

Atualmente, o padrão em termos de transporte continua a ser contar com o apoio de um ERP e desenvolver uma ferramenta « caseira » como complemento. Estima-se que cerca de 25% dos embarcadores estejam equipados com uma plataforma de visibilidade ou TMS. Esforçar-se para desenvolver soluções internas que serão menos eficientes do que as ferramentas do mercado e difíceis de evoluir, sem dúvidas, não é a melhor opção.

 

PROJETOS DE NEGÓCIOS REAIS PARA LANÇAR DESDE AGORA

Portanto, um esforço deve ser feito do lado do embarcador para primeiro definir sua necessidade e, em seguida, escolher o software apropriado em um mercado fervilhante. Uma vez que a escolha certa tenha sido feita e o software instalado, resta engajar adequadamente seus transportadores de modo a obter suas informações relevantes e assim, otimizar seus fluxos e recursos a partir de dados factuais. Realmente, entre os embarcadores equipados com software, um grande número ainda sofre com a qualidade dos dados relatados via telemática da operadora. Como Yann de Feraudy, Presidente de Supply Chain da França pela Aslog, diz: « Em Supply Chain, a alavanca de primeiro nível são os dados. Você não pode fazer nada sem dados. »

Trata-se, portanto, de projetos empresariais reais que devem ser empreendidos agora para digitalizar o seu transporte, com ganhos substanciais de produtividade e eficiência em jogo, e que são indispensáveis para garantir a promessa do cliente de forma sustentável num contexto turbulento.

 

Próxima parte: 2- Como proteger suas capacidades de transporte.

Olivier Harduin
Senior Manager DIAGMA
oharduin@diagma.com

A TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA NO PONTO DE VENDA

 

O contexto da pandemia de Covid-19 reforçou o papel logístico dos pontos de venda como elos fundamentais na distribuição omnicanal. Também acelerou a necessidade de transformá-los para oferecer serviços mais diversificados, mas com o mesmo alto nível de exigência, independentemente do canal utilizado pelo consumidor. Como alcançar efetivamente essa transformação?

Continue Reading

Covid-19: As Supply Chains resistiram ao período de confinamento no Brasil, mas devem se preparar para meses caóticos na retomada

A DIAGMA e a SCAMBO realizaram uma pesquisa com mais de 60 tomadores de decisão, para entender o impacto da Covid-19 nas Supply Chains no Brasil.

A DIAGMA e a SCAMBO realizaram uma pesquisa com mais de 60 tomadores de decisão, para entender o impacto da Covid-19 nas Supply Chains no Brasil.

A DIAGMA e a SCAMBO, duas consultorias especializadas em Supply Chain, realizaram uma pesquisa com mais de 60 tomadores de decisão, para entender o impacto da Covid-19 nas Supply Chains no Brasil. As conclusões do Aurélien Jacomy e do Paulo Fernandes, sócios das respectivas consultorias: até agora, as Supply Chains funcionaram bem, mas ficaram mais frágeis, e com certeza mais imprevisíveis. Os próximos meses podem ser muito caóticos.

Continue Reading

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×

Erreur : Formulaire de contact non trouvé !

×
SSL Encrypted Copyright © 2019 Todos os direitos reservados.